quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Concreto em Goiânia



Teatro do Concreto e Solos de Baco transformam
o corre-corre cotidiano do Centro de Goiânia
Turnê do grupo brasiliense em Goiânia
segue até o próximo domingo, com entrada franca

Túlio Moreira

O grupo brasiliense Teatro do Concreto começou a turnê em Goiânia no início da noite de ontem (quarta-feira, 27/1), com o espetáculoRuas Abertas. As intervenções cênicas, realizadas em parceria com o grupo goianiense Solos de Baco, chamaram a atenção dos pedestres e motoristas que passavam pelo cruzamento das avenidas Tocantins e Anhanguera, no Centro de Goiânia. Segundo o diretor do grupo, Francis Wilker, as intervenções retratam sentimentos como o amor, o desejo e a solidão. O objetivo é voltar o olhar do público para os cenários urbanos, pouco contemplados na correria do dia-a-dia.

Os atores brasilienses e goianos movimentaram o lugar. Pedestres, motoristas, moradores e comerciantes ficaram curiosos diante da proposta dos grupos. Muitos aprovaram a ideia de aproximar as artes cênicas das pessoas que estão passando na rua. A professora Ana Rita Vidica estava presente no cruzamento das duas avenidas na apresentação de ontem. Ela acredita que as intervenções fazem com que o público comece a enxergar a vida como um grande espetáculo, as pessoas como atores e a cidade como o cenário disso tudo.

Francis Wilker afirma que o convite ao grupo goiano Solos de Baco para as intervenções cênicas do Ruas Abertas faz parte da tentativa de consolidar uma rede de intercâmbio de ideias entre os grupos da região Centro-Oeste. “Muitas vezes os grupos não se articulam nem trocam informações, mesmo estando tão perto”, afirma o diretor. A diretora do grupo Solos de Baco, Natássia Garcia, acredita que a parceria pode estreitar o eixo Goiânia-Brasília e fortalecer a cultura cênica nas regiões. “As experiências que trocamos contribuem para o nosso trabalho. É sempre um fluxo de prática e de técnica, e acrescenta ou transforma a nossa forma de fazer teatro”, define. A turnê do Teatro do Concreto já passou por Campo Grande (Mato Grosso do Sul) e Cuiabá (Mato Grosso).

Hoje (quinta-feira, 28/1), o destaque é a segunda edição do Ruas Abertas, dessa vez na esquina da Rua 3 com a Avenida Goiás, às 12h, e a leitura dramática de Inútil Canto e Inútil Pranto pelos Anjos Caídos, texto pouco conhecido de Plínio Marcos. Para Francis, a descrição cruel e cheia de detalhes dos últimos momentos da vida de 25 homens enclausurados numa cela de presídio e que morrem queimados durante uma rebelião costuma deixar o público consternado. O espetáculo, que será apresentado às 20h no Teatro Yguá do Centro Cultural Martim Cererê, envolve muitos elementos sonoros e resulta numa experiência impactante. A passagem por Goiânia inclui apresentações até o próximo domingo. Toda a programação tem entrada franca.

1 Comentários:

Blogger Maria Teresa Cambronio disse...

Muito interessante este texto! Adorei! Sou poetisa. Licenciada em Quimica e atualmente estudo Artes Teatro. Visite meu blog: mariateresacambronio.blogspot,com/
Abraços!

20 de março de 2010 10:47  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial